Javascript não suportado Eleição CADES Butantã -Cancelada conforme comunicado em DOC-SP de 25/08/2021 - pag.22

Participe+

Início
Voltar às votações

Eleição CADES Butantã -Cancelada conforme comunicado em DOC-SP de 25/08/2021 - pag.22

Período: 21 Ago 2021 - 23 Ago 2021

Descrição

O Conselho de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz (CADES Regional) foi criado em 2009 para engajar a população, por meio de seus representantes, na discussão e formulação de propostas socioambientais junto às Subprefeituras da cidade de São Paulo. Para isso, cada Subprefeitura conta com um CADES. Cada CADES é formado por membros da sociedade civil, e seus respectivos suplentes e membros do governo e seus respectivos suplentes. Os CADES são presididos pela Subprefeita ou Subprefeito.

Neste processo de votação, a comunidade residente na Subprefeitura Butantã está convidada para eleger os 8 representantes da sociedade civil. Por isso, se você tem mais de 16 anos e é residente da Subprefeitura, participe e mobilize sua vizinhança! Se não tiver acesso à internet, compareça à Subprefeitura, situada na R. Ulpiano da Costa Manso, 201, no dia 21/08 entre 10h e 16h, para participar de uma orientação presencial.

Outras informações sobre o Conselho:
- A atuação do CADES Regional está prevista na Lei nº 14.887 de 15 de janeiro de 2009.
- Os membros da sociedade civil são eleitos por voto popular e os membros do poder público são indicados pelas Secretarias da Prefeitura.
- Puderam se candidatar ao conselho os munícipes maiores de 18 anos que moram ou trabalham no território da Subprefeitura.

Podem participar as pessoas registradas na subprefeitura:

  • Butantã
Fora do período de participação

Selecione seus representantes ao CADES Regional

Flávio Amaral Yamamoto

13 votos

Luciana Molinari Murakami

162 votos

Angela Baeder

160 votos

Ana Lucia Aurelio

26 votos

Luanna

13 votos

Ana Aragão

279 votos

Clarissa de Freitas Benevides da Costa

23 votos

Murilo Carbone Carneiro

13 votos

Vinicius Pereira

159 votos

Ju Lourenção

114 votos

Bianca Rezende Hartwig

9 votos

Bruno

32 votos

Élio Jovart Bueno de Camargo

183 votos

Angelica

106 votos

Daniela Alvarez Negreiro

11 votos

Pierangela

44 votos

Paula Vergotti Kutxfara

56 votos

Alex Fukumura da Autoescola Pinheirense

17 votos

Enrique Alejandro Suarez

12 votos

Mila Maluhy

239 votos

Airton Cerqueira Leite

63 votos

Ivanildo de Oliveira Junior

11 votos

Adilson Pereira

101 votos

Deny Guimarães

73 votos

Letticia Rey

12 votos

Exibir informações adicionais Ocultar informações adicionais

Flávio Amaral Yamamoto

 

Olá! Meu nome é Flávio, morador do bairro desde 81. Sou graduado em Tec. em Gestão Ambiental e Design de Produto. Frequento o Parque Previdência desde a fundação do CEA (Centro de Educação Ambiental), onde lá realizei um dos seus primeiros cursos (meados 86/87). Fiz parte também do Grupo Escoteiro lá realizado por cerca de 20 anos, realizando inúmeras atividades voltadas à educação de jovens onde também são inclusas atividades voltadas ao meio ambiente. Um dos exemplos de atividades realizadas foi o plantio de árvores no morro do Makro em 2006. Sou também o fundador do Muda Butantã, braço do famoso Muda Mooca, organização voluntária formada por moradores do bairro voltada para transformar o bairro mais verde. Também sou Meliponicultor (criador de abelhas sem ferrão) há mais de 10 anos e um dos fundadores do SOS Abelhas sem Ferrão, maior grupo de interessados em Abelhas sem Ferrão do mundo.

Luciana Molinari Murakami

 

Arquiteta e Urbanista, especialista em sustentabilidade das edificações, Permacultora, empresaria e membra de entidades comunitárias. Conselheira CADES-BT no ano 2018-2020, e pretendo dar continuidade ao trabalho iniciado neste primeiro mandato. Espero atuar no dialogo entre os gestores públicos e sociedade principalmente na área ambiental e desenvolvimento sustentável, trazendo demandas e soluções criativas e acessíveis para: - Conservação de áreas verdes, extensão do plano de arborização promovendo o bem estar e a conscientização da população sobre o meio ambiente; - Desenvolvimento de plano de valorização da rede hídrica do Butantã, visando a sustentabilidade ambiental, social e econômica - Fomentar a criação de espaços de hortas urbanas como uma politica de economia solidaria, apoiando as metas de combate a vulnerabilidade alimentar. - Replicar projetos de jardins de chuva já iniciados , nos locais de incidência de alagamentos no Butantã; - Promover a mobilidade local valorizando pedestres e ciclistas.

Angela Baeder

Como conselheira, pretendo representar a população da Região do Butantã, trazendo contribuições e demandas vindas de movimentos sociais e ampliar os debates do conselho com os movimentos. Os debates dos problemas locais, dos programas de governo, da proposição de novos programas, devem considerar a demanda da população. Partindo das necessidades locais, é possível construir soluções adequadas para os problemas de conservação ambiental e suprir as necessidades e interesses populares. A proximidade entre programas, políticas públicas e necessidades da sociedade civil, focada nas condições socioambientais locais amplia a participação comprometida nas soluções e em sua manutenção, nas diferentes dimensões da vida no território: moradia, saneamento (água, esgoto, águas pluviais e resíduos sólidos – compostagem); uso e ocupação do solo; reposição vegetal; segurança alimentar (demandas por hortas), saúde e geração de renda (há muitas demandas). Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a legislação ambiental são referências fundamentais para programas e ações.

Ana Lucia Aurelio

 

Olá, meu nome é Ana Lucia Aurelio, sou arquiteta e minha história profissional está ligada à área de meio ambiente. Trabalhei tanto na iniciativa privada, em empresas de consultoria, como no setor público, onde tive contato mais direto com processos decisórios participativos. A partir dessa experiência, quis me aproximar das questões mais ligadas ao território. Assim, em 2020, fui eleita Conselheira Participativa Municipal do Butantã, com mandato encerrando no final de 2021. Minha proposta, como Conselheira do CADES, é trabalhar pela melhoria da qualidade ambiental da nossa região e, por meio dela, contribuir para outras questões presentes no território, como saúde, educação e geração de renda, com a ampliação e manutenção das nossas praças e parques, implantação de infraestrutura verde (jardins de chuva e soluções semelhantes) e implantação de hortas comunitárias.

Luanna

Eu, Luanna Martins dos Santos, jornalista, tenho interesse em contribuir para a melhoria das condições socioambientais da cidade de São Paulo e para a redução das desigualdades. Proponho atuar com base na Agenda 2030 e contribuir para que os ODS (e suas metas) sejam implementados na cidade. Desejo contribuir para que a cidade de São Paulo enfrente os efeitos das mudanças climáticas, reduza suas vulnerabilidades, amplie o acesso aos serviços públicos e à infraestrutura, com reflexos positivos para o ambiente e todas as formas de vida. Além disso, me disponho a atuar com respeito à equidade, não praticar a intolerância e o preconceito, e dialogar de forma não violenta.

Ana Aragão

 

Atuação em preservação e recuperação dos espaços verdes, com participação em entidades comunitárias de defesa da biodiversidade. Conselheira CADES-BT em três gestões e atuo na preservação da Mata Atlântica, e sobretudo, na proteção das nascentes de córregos ainda abertos em São Paulo. Proponho recuperação da arborização das margens da área urbana do Rio Pinheiros, para formar corredor verde , que permita interligar a mata nativa para dentro dos bairros situados ao longo do seu trajeto. Integro Associação dos Amigos da Praça João Afonso de Souza Castellano, que promoveu ativamente a luta pela ciclovia da Av. Eliseu de Almeida e sua arborização. Entidade que transformou parte de rua ociosa, em um belíssimo boulevard, com jardim de chuva e escoamento pluvial, além da extensão da Praça com o mesmo nome. Pretendo sugerir projetos iguais, em locais de incidência de alagamentos no Butantã., incluindo Parque Linear Caxingui.

Clarissa de Freitas Benevides da Costa

 

Clarissa Freitas é graduanda em Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental, pelo Instituto de Geociências - Universidade de São Paulo (USP). Possuí tecnólogo em Meio Ambiente, pela Escola Técnica Estadual Jardim Paulistano (2017). Realizou estagio em Verde e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de São Paulo - Subprefeitura Regional de Perus, atualmente trabalha com gerenciamento de áreas contaminadas em uma empresa de consultoria ambiental. É co-fundadora do Núcleo de Permacultura da USP (PermaUSP), coletivo que objetiva estudar e realizar ações em permacultura na Universidade. Como proposta para o CADES, objetiva atuar com as temáticas socioambientais em Permacultura, Agrofloresta Urbana, Compostagem Urbana, Hortas Comunitárias e desenvolvimento ambiental regional

Murilo Carbone Carneiro

Murilo Carbone Carneiro é graduando em Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental pela Universidade de São Paulo, possuí formação em Design de Permacultura pelo Instituto de Permacultura da Mata Atlântica (IPEMA), é co-fundador do Núcleo de Permacultura da USP (PermaUSP), coletivo que objetiva estudar e realizar ações em Permacultura na Universidade. Atualmente trabalha no Projeto Novo Rio Pinheiros como educador socioambiental, onde desenvolve ações voltadas à resolução de problemas acerca da crise hídrica. Como proposta para o CADES, objetiva atuar com as temáticas socioambientais em Permacultura, Bioconstrução, Hortas Urbanas e Verticais, Jardins de Chuva, Compostagem Urbana, Hortas Comunitárias e desenvolvimento e educação ambiental regional.

Vinicius Pereira

 

Meu nome é Vinicius Pereira, sou músico, educador e permacultor, trabalho atualmente com educação ambiental, consultorias e projetos de sustentabilidade e faço parte das redes Permacultores Urbanos e PermaSampa. Como morador e ativista da região da antiga Favela da Joia (próximo ao CEU Butantã), cuido (juntamente com os meus vizinhos) das nascentes daqui da nossa microbacia hidrográfica e gostaria de levar esse cuidado com as nascentes para a macro região do Burantã. Nós também nos dedicamos a compostagem na nossa praça e esse tema também é do meu extremo interesse. Espero poder colaborar na difusão dessas propostas e ao mesmo tempo fortalecer o trabalho dos demais membros do CADES dedicados às boas práticas ambientais e comunitárias da nossa região.

Ju Lourenção

Sou Julia Lourenção, coordenadora da Feira Agroecológica e cultural de mulheres no Butantã, uma rede de economia solidária e feminista que atua a 3 anos ampliando o acesso da população ao Viveiro II do Butantã promovendo feiras culturais e agroecológicas, e integrando um movimento maior de preservação daquela área verde. Sou Geógrafa, e educadora ambiental e atuo em fóruns e redes de economia solidária. Desejo ampliar a articulação do CADES com os agentes locais, como coletivos que atuem diretamente no território, propondo à subprefeitura ações que potencializem os movimentos que atuam em defesa do meio ambiente e da cultura da paz. Tenho interesse em promover os debates em torno da implementação da agroecologia e da permacultura no ambiente urbano, para preservação e ampliação de áreas verdes, cuidado com corpos d'agua, e gestão de resíduos sólidos, e o desenvolvimento de relações sociais mais justas e respeitosas, que promovam o bem viver.

Bianca Rezende Hartwig

 

Meu nome é Bianca Rezende Hartwig, me formo Cientista Ambiental pela Universidade Federal de São Paulo em agosto de 2021. Trabalho como Analista Ambiental na área de Gerenciamento de Áreas Contaminadas e também como Educadora Ambiental na área de Gestão de Resíduos Sólidos. Em 2019 trabalhei como pesquisadora no Instituto de Botânica de São Paulo e publiquei um artigo sobre uma espécie medicinal nativa da Mata Atlântica chamada Erva Baleeira. Nos últimos anos tive a oportunidade de participar de diversas capacitações e mutirões relacionados a permacultura, agroecologia, bioconstrução, economia circular e desenvolvimento sustentável. Atualmente dou apoio a dois projetos voluntários, um deles é relacionado a segurança alimentar de idosos em situação de vulnerabilidade Social (PROSAI) e outro é relacionado a consumo de alimentos agroecológicos de pequenos produtores regionais. Tenho interesse em participar mais ativamente da articulação e construção de projetos que tornem a nossa cidade um modelo sustentável no país.

Bruno

 

O eixo central da minha proposta de trabalho é aumentar as áreas permeáveis e caminháveis da Subprefeitura do Butantã, para isso requerendo a conversão de áreas asfaltadas em calçadas de excelente qualidade e áreas verdes (canteiros comuns ou jardins de chuva) com espécies nativas, além da reforma e ampliação das calçadas já existentes. A proposta contribui para os seguintes Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: - 3, pela limpeza do ar, pela melhora na paisagem e pela redução de acidentes. - 6, pelo auxílio à drenagem de água da chuva, evitando e minimizando enchentes. - 11, pela contribuição a uma cidade mais sustentável. - 13, pela mitigação de extremos climáticos como as chuvas e o calor excessivos. - 15, pela recuperação da paisagem natural e pela atração de fauna no ambiente urbano.

Élio Jovart Bueno de Camargo

A - Proposta de preservar e ampliar a área verde desta regional: - principalmente nos canteiros centrais de nossas avenidas como forma de ligação entre as áreas existentes (praças, parques, Instituto Butantã, Cidade Universitária, particulares, etc.), para ampliar a Fauna e Flora. - Arborizar as áreas aterradas do Córrego Iquiririm. - Preservar as áreas verdes da região. - Recuperar as antigas áreas ZEPAM da região, que foram transformadas em ZEIS no último zoneamento. B - Recuperação de nascentes aterradas da região, como forma de manutenção e ampliação da Fauna local (onde bebem os nossos pássaros?). C - Zelar pelo meio ambiente da região: - Coleta e destinação do lixo e entulho. - Coleta seletiva e separação do lixo. - Despoluição dos Rios Pirajussara e Pinheiros, evitando-lhes a destinação de esgoto e detritos. D - Verificar a destinação adequada de restos de feiras e eventos na região. Élio Jovart Bueno Camargo

Angelica

 

Maria Angelica C de Oliveira, Gestora Publica de formação, Educadora Socioambiental. Militante e Ativista da Carta da Terra, Agenda 21, ODMs, Agenda 2030 dos ODS desde 2015. Membra do CADES Butanta 2018/2020 com mandato prorrogado 2021

Daniela Alvarez Negreiro

 

Sou moradora do Butantã desde criança e sei da importância de projetos voltados para o meio ambiente. Inclusive, com crianças, ensinando desde cedo a preservar.

Pierangela

 

Pretendo contribuir com projetos relativos ao meio ambiente, tais como reciclagem, reaproveitamento, projetos quantos a questão do ar, e principalmente, na áreas verdes da cidade

Paula Vergotti Kutxfara

 

Eu, Paula Vergotti Kutxfara, venho por essa carta me candidatar ao Cades Butantã. Sou nutricionista e atuo na educação, e frequentemente observo a necessidade de um maior conhecimento e engajamento na área de educação ambiental nas diferentes faixas etárias. Sou uma pessoa muito interessada e tenho uma grande paixão pela área de meio ambiente e sustentabilidade, além de ser motivada a um novo sentido relativo às questões sócio-ambientais de nosso bairro.

Alex Fukumura da Autoescola Pinheirense

 

Reciclagem de lixo residencial, conscientização e educação da população para tratar desse tema tão importante para o meio ambiente e a sociedade... para onde vai esse lixo? Dá para reduzir esse consumo? Esse lixo é lixo mesmo? Geração de renda com lixo?

Enrique Alejandro Suarez

Meu nome e Enrique Alejandro Suarez , moro no distrito raposo tavares desde 1994 , participei nos anos 80 do Grupo Seiva de Proteção da Natureza ( da Cacilda Lanusa ) e outros grupos pioneiros da época em ecologia aqui em São Paulo . Nestes últimos anos venho participando do coletivo Organicosimples , sito no jardim rosa maria , e que se dedica a difundir e implantar a agroecologia urbana e outras praticas socioambientais no local de moradia . A minhas propostas a serem trabalhadas no CPM e a ampliação da participação civica do conselho , e a implementação negociada e parceirizada entre ongs e subprefeitura das politicas públicas e leis ambientais já existentes no município , em especial a do Plano Municipal de Estímulo a Agricultura Agroecológica .

Mila Maluhy

Mila Maluhy, fotografa, com graduação em Biologia (Mackenzie) e pós graduação em Gestão Ambiental (SENAC). Finalizando o curso Advocacy para a Agenda 2030 da ACT Advocacy Social. Faço parte do Fórum Verde Permanente de Parques e Praças, da FADS (Frente Ampla Democrática Socioambiental) e Coalizão Pelo Clima. Tenho como temas de interesse o melhor aproveitamento de áreas verdes para uso da comunidade com hortas comunitárias, compostagem e espaços para educação ambiental, com ênfase no descarte apropriado dos resíduos sólidos; maiores cuidados com os parques e praças já implantados e estudos para implantação de novos, como o Parque Linear Caxingui; proteção das nascentes e limpeza dos córregos da região e fortalecimento de espaços de cultura.

Airton Cerqueira Leite

Estou me candidatando ao CADES/Butantã porque sou geógrafo, portanto, dominando conhecimentos sobre meio ambiente e também porque já participei em 2016-2018 como membro do CADES/BT

Ivanildo de Oliveira Junior

Eu, Ivanildo de Oliveira Junior, presidente da União de Moradores da Favela do Jardim Colombo há 11 anos (2008 até 2012 e 2014 até o presente momento), além disso fui vice presidente de 2004 a 2008. Também sou conselheiro da UBS do Jd. Colombo e, em 2008 participei do Conselho Municipal Participativo. Gostaria de tratar nas reuniões as questões de saneamento básico, a obra de reurbanização que está acontecendo no Jardim Colombo e também discutir futuros para o terreno conhecido como Nova República, propor a construção de uma horta orgânica nesse espaço, em que haja envolvimento da população e participação ativa dos residentes.

Adilson Pereira

 

Eu me chamo Adilson de Jesus Pereira, tenho 37 anos sou formado em Educação Física. Atualmente trabalho em um CCA que atende famílias com algum tipo de vulnerabilidade, na minha especialidade dentro da educação física trabalho com as crianças através do esporte o fortalecimento de vinculo e a convivência. Nasci e fui criado na região do Butantã, onde tenho a apropriação do território conhecedor de muitas pessoas e dos pontos positivos e negativos em relação ao nosso Meio Ambiente. Falando um pouco da minha candidatura, sei que posso ajudar muito com ideias futuras para um bom desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz para nossa região.

Deny Guimarães

 

Ao "Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz , do Butantã". AUDENICI MARIA COELHO, brasileira, casada, secretária, residente e domiciliada na (XXX),candidata a uma vaga no Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz – BUTANTÃ, venho por meio desta expressar a minha intenção referente ao cargo pleiteado: 1. Proteger as áreas verdes e ajardinadas; 2. Ajudar no desenvolvimento sustentável de nosso bairro; 3. Aumentar a qualidade de vida dos moradores; 4. Transformar o nosso bairro em um exemplo para São Paulo. 5. Representar os direitos e interesses da população moradora, em todos os assuntos de uso e ocupação do solo, sustentável e pela cultura de paz. Obrigada, Audenici Maria Coelho São Paulo, 23 de julho de 21

Letticia Rey

 

Pretendo articular as atividades em defesa do meio ambiente à demais políticas públicas sociais e urbanas da Subprefeitura em questão, buscando a construção de um cenário de políticas intersetoriais e intersecretariais.


Você precisa acessar sua conta ou se registrar para fazer um comentário
Voltar para o Início