Javascript não suportado Como você avalia a situação atual do centro histórico de São Paulo, no que diz respeito às suas atrações turísticas?

Participe+

Início

Como você avalia a situação atual do centro histórico de São Paulo, no que diz respeito às suas atrações turísticas?

Respostas abertas (15)


Fora do período de participação
  • Beatriz Messeder

    Sensações similares são notadas no circuito Sé - São Bento, na Praça da República e seu entorno, Teatro Municipal, etc. A falta de segurança e o estado geral de abandono acabam gerando um aumento de pessoas que optam pelo transporte individual quando precisam se direcionar a região, em especial, no horário noturno.

    Nenhuma resposta
    • Beatriz Messeder

      Embora tenha ampla oferta de atrações turísticas, o centro de São Paulo tornou-se um local hostil e inseguro especialmente para o pedestre. Ruas repletas de pessoas em situação de rua, pedintes, usuários de drogas e comércio ilegal contribuem para uma imagem de abandono e insegurança na região, mesmo com o aumento do efetivo policial e a diminuição de ocorrências. Calçadas esburacadas, poucas áreas sombreadas, ruas mal iluminadas, trajetos mal sinalizados e um paisagismo tímido e sem cuidado também não contribuem para as primeiras impressões daqueles que circulam pela região. Estamos falando de espaços públicos pouco convidativos e riscos evidentes para o deslocamento turístico entre atrações, exemplos: Passear pelo Parque da Luz e ir a pé no circuito Museu da Língua Portuguesa, Pinacoteca e circuito de compras do Bom Retiro, almoçar por lá e depois assistir um espetáculo ou orquestra na Sala São Paulo, são todas atrações muito próximas geograficamente, mas com alto grau de risco

      Nenhuma resposta
      • andersondiniz

        Apesar de ter várias atrações turísticas, considero a situação inadequada. O Novo Anhangabaú, por exemplo, fica fechado por períodos excessivos antes e depois de eventos privados e, nos eventos públicos e/ou gratuitos, a forma como é executado o controle de acesso soa hostil. O descaso com os quiosques por parte da concessionária também não contribui para que o vale se torne um local de permanência. A maioria dos eventos culturais na região tem divulgação tímida ou inexistente; às vezes parece que a intenção é não atrair muita gente. Na Praça da República, não há eventos, com exceção da tradicional feira de artesanato; no Largo do Arouche, só eventos mal organizados e mal divulgados.

        Nenhuma resposta
        • Diogo MM

          Adequada. Acho que falta segurança para ir de uma atração para outra. Trazer mais moradores fixos e turistas pra o centro talvez reative as fachada e traga vida para a rua. Desse jeito os caminhos entre uma atração e outra podem ficar um pouco mais seguros. A feirinha da república é um ótimo exemplo de como vida na rua deixa o lugar mais seguro. Quando a feirinha da república está funcionando fica bem mais seguro circular pela região. Essa feira tem grande valor histórico e cultural. Deveria acontecer mais dias e em horários estendidos. Talvez até de noite. Durante o dia poderia ter atrações musicais e culturais promovidas pela prefeitura. Isso iria ajudar os feirantes. Talvez incentivar a prte gastronômica dela iria contribuir também

          • andersondiniz

            Concordo que os caminhos entre uma atração turística e outra não passam sensação de segurança para o turista, ou mesmo para paulistanos que não têm costume de frequentar o Centro. Também concordo que o estímulo ao aumento do número de moradores contribui também para esse aumento de sensação de segurança, além de diversificar horários e tipos de atividades comerciais - é só comparar o movimento noturno da Vila Buarque e arredores do Copan com o do Triângulo Histórico.

            Nenhuma resposta
          • luciananassif

            As atrações são muito interessantes e bem estruturadas, mas difíceis de encontrar pela má sinalização (ou sinalização inexistente) já que não é seguro usar o celular para procurar localizações em um mapa online.

            Nenhuma resposta
            • Renata CR

              Por que é preciso traalhar para que se possa transitar com tranquilidade entre os atrativos do centro, gastronomia, comércio sem que haja sensação de insegurança ou de desamparo por testemunhar cenas tristes ou com aspecto de decadência. Isso tem condição de ser melhorado, aliás tem melhorado nos últimos meses para cá. Acredito que toda iniciativa positiva para o Centro de São Paulo deva ser apoiada intensamente, e nós cidadãos também temos a nossa parte a cumprir - de frequentar e promover o Centro da cidade.

              Nenhuma resposta
              • Clarissa Gagliardi

                O atrativo da cidade é a própria cidade, com tudo o que ela tem de mais rico, que são as pessoas que a produzem e reproduzem cotidianamente. Se no coração desse lugar - o centro - vemos pessoas em situação de vulnerabilidade, dependentes químicos proliferando, necessitados sem assistência do Estado, a rua transformada em casa, em banheiro a céu aberto, insegurança, pobreza, comerciantes desestimulados e a hostilidade da cidade para com estes seres humanos que parecem invisíveis aos olhos de quem pode mobilizar políticas públicas para reverter este quadro, então não posso concordar que o poder público esteja zelando pelo centro da cidade e seus atrativos.

                • andersondiniz

                  Exatamente. Aliás, um erro do #TodosPeloCentro é NÃO incluir a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania no comitê. Tem Segurança Urbana, Mobilidade, Desestatização e Parcerias... Mas não tem Direitos Humanos e Cidadania.

                  Nenhuma resposta
                • Flora Saraiva

                  Inadequado porque, infelizmente, embora todos os esforços, não há uma política concertada na questão social da região. Historicamente, como na maior partes das cidades grandes do país, o centro abriga pessoas social/economicamente vulneráveis. Não adianta revitalizar prédios, sem primeiro e paralelamente endereçar a questão dos moradores de rua, e também, da violência que é bem presente na região. É preciso um programa social para que a revitalização seja sustentável. Pessoas precisam vir acima de lucro e objetivos econômicos. A revitalização e transformação do centro como Distrito Turístico, demanda uma visão holística da região. Não adianta uma programação cultural incrível (como CCBB ou Theatro Municipal), se não for endereçado o entorno.

                  Nenhuma resposta
                  • Victor C. M. F. de Brito

                    Apesar do crescente esforço de revitalização do Centro Histórico, é necessário incrementar o estímulo a comércio e atrações noturnas. Nesse sentido, reitero os comentários já feitos que me parecem propor soluções adequadas.

                    Nenhuma resposta
                    • felipedantast

                      Acredito que há muito potencial e hoje o centro já oferece muito equipamento cultural, mas acho que ainda é inadequada quanto a atrações turísticas porque ainda há muitos prédios abandonados e carentes de manutenção e reforma o que torna a região não tão agradável de passear. Ainda há muitas lojas fechadas e pouca atividade turística noturna, salvo poucas festas fechadas. Para complementar, ainda impera uma sensação de insegurança na região que faz com que turistas não se sintam confortáveis em apreciar o centro histórico. Dentro dos espaços é ótimo, mas transitar entre um prédio e outro gera receio.

                      Nenhuma resposta
                      Voltar para o Início